Tomara que não chova ou a incrível história do homem que se transformou em cachorro

 

“Eu sei que a gente se acostuma, mas não devia…”

Este espetáculo nasceu inicialmente da necessidade da companhia de ter um trabalho para ser apresentado em espaços alternativos. Primeiramente porque todos os espetáculos da Téspis que atualmente compõe o repertório são para palco italiano e requerem uma série de necessidades técnicas para serem apresentados. Depois, porque a Téspis  gostaria de investir em um espetáculo que tivesse mais proximidade com o público e que explorasse as diversas possibilidades que o espaço cênico oferece.

Partindo do texto “A história do homem que se transformou em cachorro” que faz parte de um texto maior chamado “Histórias para serem contadas” do dramaturgo argentino Osvaldo Dragun, a companhia decidiu ressaltar e tomar como eixo principal da dramaturgia a frase “a gente se acostuma com tudo“.

A partir da pesquisa sobre este tema e de improvisos dos envolvidos na montagem, a Téspis começou a construir um espetáculo em que a principal discussão tinha relação com hábitos, costumes, valores, procedimentos com os quais passamos a nos acostumar no dia a dia, e como muitos deles vão nos  “des-sensibilizando” e deixamos de olhar para questões mais essenciais do indivíduo.

Um dos principais pontos  que detectamos por exemplo, foi o fato de que nos dias atuais estamos tão expostos à violência nas redes sociais, na televisão, no trânsito e mesmo nas ruas pelas quais circulamos, que passamos a encarar  tudo isso com naturalidade.

Perdemos a capacidade de nos indignar?

Como dizia o dramaturgo Bertold Brecht :

“…Desconfiai do mais trivial,
na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente:
não aceites o que é de hábito
como coisa natural,
pois em tempo de desordem sangrenta,
de confusão organizada,
de arbitrariedade consciente,
de humanidade desumanizada,
nada deve parecer natural…”

Por fim ou talvez esse tenha sido o começo, pensamos em quem poderia contar essa história? E depois de muitas tentativas surgiram dois personagens “beckettianos”, dois anônimos ou talvez “a humanidade inteira”, dois “Zé Ninguém”, que com um tanto de humor, um pouco de drama e totalmente sem memória contam/constroem  a história desse homem que teria se transformado em cachorro, enquanto tentam desvendar suas próprias origens. E é dentro dessa lógica que nos apropriamos de alguns textos de “O Inominável” de Samuel Beckett.

Explorando o espaço cênico, utilizando-se do recurso audiovisual, dialogando diretamente com o público, apoiando-se na trilha sonora,  trabalhando com dramaturgia fragmentada sem deixar de contar uma história, utilizando-se dos conceitos do teatro contemporâneo, mas/e também buscando elementos do teatro popular,  valorizando o texto sem ignorar o corpo, o que poderia ser uma miscelânea, para nós,  “Tomara que não chova ou a incrível história do homem que se transformou em cachorro” talvez venha a constituir uma síntese de nossa pesquisa e nosso trabalho até o momento.

 

Tomara que não Chova 04 - Foto by Criadoria - Atores Jônata Gonçalves e Denise da Luz

foto by Criadoria

Release

Com o quê nos acostumamos diariamente?

Com 22 anos de atividades e com 18 montagens na carreira, a Téspis Cia de Teatro embarca em nova experiência teatral ao estrear o espetáculo “Tomara que não chova ou a história do homem que se transformou em cachorro”.

Com a montagem deste espetáculo, a Téspis decidiu sair do palco italiano para se aventurar no formato de espaço cênico alternativo, utilizando-se de um corredor ou passarela ao meio onde é realizada a ação cênica, com o público sentado nos dois lados.

TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 02 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves - PQ

Foto by Julian Cechinel

Tomara que não Chova!” dá continuidade à pesquisa de linguagem contemporânea na qual a companhia vem investindo nos últimos trabalhos, abordando temas polêmicos, mas sempre com doses de humor e ironia. Mais uma vez, experimenta uma linguagem com utilização de recursos tecnológicos como imagens, projeções e sons (ambientação sonora).

Esse tipo de espetáculo atrai, entre outros, o público jovem, que está acostumado a uma rotina mais dinâmica devido à influência dos aparelhos eletrônicos que invadiram a vida moderna; com várias coisas acontecendo ao mesmo tempo. A gente tem conseguido dialogar com este público porque tem dado mais ênfase ao acontecimento do que à história contada com início, meio e fim”, comenta o dramaturgo e diretor do espetáculo, Max Reinert.

Com atuação de Denise da Luz e Jônata Gonçalves, a peça fala de um homem, desempregado há muito tempo, que encontra como única oportunidade de trabalho tornar-se “cachorro do vigia noturno”. Ciente de suas necessidades e convicto de não ceder às pressões que a nova profissão apresenta, o homem aceita o trabalho. Mas a chuva o obriga a se sujeitar a condições degradantes. Quanto tempo é necessário para que ele se acostume com essa nova condição? E, depois que ele adquira esse hábito, será possível voltar a ser homem?

TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 08 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves

Foto by Julian Cechinel

Tomara que não chova ou a história do homem que se transformou em cachorro” utiliza poucos elementos de cenário, fazendo uso basicamente de uma estrutura de canos de PVC e spots de iluminação fria. A projeção de imagens contribui na concepção final da peça que conta ainda com trabalho artístico de Mauro Caelum, escultor responsável por parte dos adereços de cena. A trilha sonora é um capítulo à parte. É a quinta parceria da Téspis com Hedra Rockenbach, musicista que atua na concepção do projeto, desde o começo do processo criativo.

Este espetáculo foi garantido pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura com patrocínio total da Brasfrigo S.A., além de contar com apoio do Sesc Itajaí.

Tomara que não Chova!” estreou em Itajaí, passando por bairros e instuições da cidade no período de 26 de setembro a 07 de outubro de 2015. Após as 10 apresentações desta temporada, participou dos seguintes eventos:

* 2ª Mostra Nossa de Teatro, em Rio Negrinho (SC), em novembro de 2015
* Laboratório Cena contemporânea, em Itajaí (SC), em março de 2016
* 5º Festival de Teatro do Balneário Piçarras, (SC), em abril de 2016
* Edital de Ocupação Ponto de Cultura AMORABI, em Joinville (SC), em maio de 2016
* Inauguração da Itajaí Criativa – residência artística, em Itajaí (SC), em julho de 2016
* Circulação pelos bairros da cidade, em Itajaí (SC), em outubro de 2016
* Festival Nacional de Teatro de Chapecó, (SC), em maio de 2017

 

Foto by Criadoria

foto by Criadoria

Ficha Técnica:

Dramaturgia e Encenação: Max Reinert
Atuação: Denise da Luz e Jônata Gonçalves
Ambientação Sonora: Hedra Rockenbach
Figurinos: Denise da Luz
Costuras: Lélia Machado de Melo
Máscaras e escultura: Mauro Caelum
Cenotecnia: Cidval Batista Jr.
Fotos: Julian Cechinel
Produção: Téspis Cia de Teatro

Projeto selecionado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura 2014, através da Fundação Cultural de Itajaí, Prefeitura de Itajaí; Patrocínio: Brasfrigo S. A.; Apoio: Sesc Itajaí

 

TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 04 - Atriz Denise da Luz

foto by Julian Cechinel

Sinopse

Um homem, desempregado há muito tempo, encontra como única oportunidade de trabalho se tornar “cachorro do vigia noturno”. Ciente de suas necessidades e convicto de não ceder às pressões que a nova profissão apresenta, o homem aceita o trabaho. Mas a chuva o obriga a se sujeitar à condições degradantes. Quando tempo é necessário para que ele se acostume com essa nova condição? E, depois que ele adquira esse hábito, será possível voltar a ser homem?

TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 09 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves

foto by Julian Cechinel

Necessidades Físicas

Espaços Alternativos –

Uma sala com piso de madeira com as seguintes dimensões mínimas:

09 metros de largura

10 metros de profundidade

04 metros de altura

Iluminação

Todo o material de iluminação é fornecido pelo grupo, sendo necessário, somente uma mesa de iluminação simples (06 canais). Caso seja possível, utiliza-se 02 refletores elipsoidais (com íris) e geral azul (para entrada da platéia) 

Sonorização

Caixas com potência adequada para o local. Mesa de som com entrada para notebook.

Transporte

03 pessoas

(02 [dois] atores e 01 [um] técnico)

Cenários são transportados com o grupo

Há um pequeno excesso de peso.

 

Clique para ampliar

TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 01 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 03 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 05 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 06 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 07 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 10 - Atores Denise da Luz e Jônata Gonçalves TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 12 - Atriz Denise da Luz Cachorro TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 13 - Atriz Denise da Luz TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 16 - Ator Jônata Gonçalves TomaraQueNãoChova - Foto Julian Cechinel - 17 - Ator Jônata Gonçalves

Cartaz_Tomara que não chova